O Pé

O Pé
Tudo que pisamos, nos apoia.

15 de set de 2010

OS SUBTERRÂNEOS CENTENÁRIOS

A beleza do Theatro Municipal do Rio de Janeiro está sustentada por uma estrutura centenária e gigantesca.
Curiosas histórias de como foi construído ou de fantasmas que andam pelo teatro à noite acompanham funcionários de décadas do local.
Entre 1994 e 2001, havia um passeio pelos lugares mais assustadores do Teatro Municipal, onde há quem tenha visto o poeta Olavo Bilac (1865-1918) declamando o discurso de inauguração.

Um homem acredita. Há 28 anos trabalhando no teatro, Luiz Gonzaga diz que testemunhou estranhas situações. Uma vez, depois de um dia inteiro de trabalho, antes de voltar para casa, Gonzaga foi jogar cartas com um amigo nos fundos do teatro.

"Quando começamos o carteado, um belo violino começou a tocar", lembra o funcionário. "Eu desci para ver e não tinha ninguém. Continuamos a jogar o baralho. Menos de dois minutos depois, o violino voltou a tocar. Fomos até a sala da orquestra para ver quem estava lá, mas não havia ninguém. Eu comecei a me arrepiar e o outro funcionário também. Não vou dizer que eu senti medo, mas respeitei. Para mim, era um fantasma que estava tocando".
 
Numa outra vez, depois de ficar afastado por um tempo do teatro, Gonzaga estava assistindo a um ensaio. Lá embaixo, no palco, conta que viu um velho conhecido, o maestro David Machado. Gonzaga até comentou com um colega: "O David Machado ainda não parou com esse vício de vir ao palco?". E o outro funcionário respondeu: "David Machado morreu faz pouco mais de um mês".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é importante, mesmo que seja nada, ele pode ser tudo.