O Pé

O Pé
Tudo que pisamos, nos apoia.

2 de out de 2009

OS SEMINÁRIOS TEOLÓGICOS SÃO RUINS(?)

Alguns músicos deviam apenas tocar.
Poucos são os que realmente tem capacidade para expressar algo além de suas músicas.
Se você pegar no mundo inteiro, os exemplos, péssimos, que temos das estrelas tanto do pop quanto do erudito são catastróficos.
O Pete Townshend (The Who), Bono Vox (U2) e o falecido John Lennon, sempre foram conhecidos por suas declarações e engajamento político.
Por outro lado, Britney Spears, Steve Tyler (Aerosmith) e Keith Richards (Rolling Stones) pelos excessos e escândalos.
No mês de setembro, assisti a duas apresentações musicais na minha igreja, que embora não sendo do meu gosto, foram de excelente qualidade sonora.
Mas o conteúdo dos discursos e exemplo, péssimos.
Como uma das regentes do evento enfatizou, as letras devem ter concordância teológica e bíblica. E tinham.
Numa das apresentações, a compositora e professora de seminário de música declarou sobre o Salmo 134.34, que toda vez que vemos na bíblia os encontros com Deus eles acontecem na calmaria, na suavidade. "Deus está nos chamando para suavidade e para a alegria...e a gente vive num mundo de aridez, cheio de tanta coisa áspera, com tantas notícias esquisitas (...)enquanto a gente estiver aqui neste plano, a gente tenha esta relação suave."
E deu excelentes exemplos sobre encontros com Deus na Bíblia.
Não satisfeita, ela resolveu filosofar e declarou em outro momento:"aquilo que a gente pode se regozijar todo o tempo é a cruz!(...)Por que ela é um marco divisório: a cruz e o túmulo vazio".
Até onde li e aprendi, o marco divisório é a ressureição, e não a cruz, como alguns gostam de iconizar a morte em cruz.
Qualquer um pode e vai morrer.
Mas a ressureição, só através de Jesus.
E isto ficou claro quando Ele ressuscitou. E a cruz, sempre carrega o significado dos pecados e o sofrimento que traz.
Não o regozijo.
E em outro momento: "a medida de justiça de Deus é totalmente diferente da nossa medida, absolutamente diferente.A gente tem uma visão muito moral da atuação de Deus na vida da gente, e Ele é soberano. Então a gente acha: isso é bom.Se este prédio cair aqui é ruim, é moralmente ruim. Mas neste exato momento, tem mil estrelas explodindo nas galáxias, tem novas galáxias se formando...Deus cria de uma forma agressiva...explodindo estrelas.E outro dia eu vi no National Geographic que o planeta Terra tem dia e hora para acabar (...)mas você veja que se mais nada acontecer, ou o que o próprio homem não faça com o planeta Terra, ele tem o tempo de validade dele, ele tem hora para acabar (...) e o planeta Terra vai explodir numa explosão linda (...) Deus gosta de grandes eventos, explosões.Mas a gente tem que ter uma visão moral das coisas. Se isto aqui cai é ruim, se aquilo quebra é ruim.Se uma pessoa que eu amo morreu é moralmente ruim".
"Vigiai, pois, porque não sabeis o dia nem a hora em que o Filho do homem há de vir." (Mateus 25:13)
Quando Cristo voltará, ninguém sabe.
Quando nós vamos morrer, ninguém sabe.
Até nos episódios das catástrofes ninguém sabe.
Como alguém pode dizer que o mundo tem hora para acabar?
E moralmente ruim ou bom, é completamente tosco.
A Filosofia Moral distingue ética e moral.
"Ética tem a ver com o "bom": é o conjunto de valores que apontam qual é a vida boa na concepção de um indivíduo ou de uma comunidade.
Moral tem a ver com o "justo": é o conjunto de regras que fixam condições equitativas de convivência com respeito e liberdade.
Ética: cada qual tem e vive de acordo com a sua; moral é o que torna possível que as diversas éticas convivam entre si sem se violarem ou se sobreporem umas às outras. Por isso mesmo, a moral prevalece sobre a ética."
Se formos analisar na perspectiva filosófica, podemos usar como base um texto assim.
Como cristãos, nossa ética e moral estão baseadas na bíblia.
E nossos dilemas morais, não podem ser classificações do que seja bom ou ruim.
Abrãao quando levou Isaque ao monte para oferecê-lo ao Senhor como sacrifício. Isto era bom ou ruim?
O bom ou ruim é subjetivo. Não tem como passearmos através de locupletações humanas em relação aos desígnios de Deus.
E os propósitos de Deus não são bons ou ruins.
E "moralmente ruim" é não depositarmos nossa fé em Deus, independente do que aconteça.
Aliás, discursos confusos refletem atitudes confusas.
E para terminar, nada de declarações ou interpretações teológicas da palavra de Deus, mas uma atitude bem estranha para quem quer ensinar música inspirativa e inspirada por Deus para futuros ministros das igrejas. A integridade está nas pequenas coisas, como falei antes em A Cegueira da minha Integridade.
Na outra apresentação, a regente colocou que o amor de Deus está refletido nas atitudes e relação ao amor ao próximo.
E abrigar uma cubana durante quatro anos ilegalmente, que veio estudar piano no seminário de música dos batistas, é o amor de Deus.
Neste tempo, todos ficavam com medo que a polícia viesse e a levasse.
Fico pensando no episódio que envolveu os pugilistas cubanos que foram presos e enviados de volta para Cuba, durante o Panamericano.
Desobediência civil, as leis de seu país, é pecado.
No entanto, como aceitar que um fato como este seja colocado como amor ao próximo?
Talvez eu que esteja sendo exagerado.
Legalista.
Depois destas coisas, eu consigo entender porque aparecem tantos seminaristas com desvio de conduta comportamental.
Musicalmente, não vou questionar.
Mas ouvirmos estas coisas nas igrejas..
Que se formem então ministros em qualquer outro lugar, porque o conteúdo não é tão importante.
A integridade só deve ser falada e não vivida.
Os professores de seminário deviam ser exemplo de conduta e conhecimento da palavra de Deus que transforma o ser humano.
Ainda bem que não todos assim...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é importante, mesmo que seja nada, ele pode ser tudo.