O Pé

O Pé
Tudo que pisamos, nos apoia.

22 de set de 2009

SÍNDROME DO SOFRIMENTO

Estava assistindo a um episódio de House M.D., e um paciente tinha a Síndrome do Espelho. Conseguia interpretar as motivações e frustrações de cada pessoa que ficava com ele no quarto.
Talvez o que mais nos afaste das pessoas, seja participarmos de suas vidas.
House não gosto de encarar seus paciente. Não se envolve com eles para não tomar decisões que sejam emocionais e que atrapalhem a cura do paciente.
Por mais que critiquemos atitudes assim, somos espelho destas ações.
Evitamos ao máximo nos envolver com as pessoas, com risco de nos tornamos participantes de seus sofrimentos.
Alguns não querem nem participar das alegrias, por causa do sentimento de inveja e frustração que nutrem.
Não sou um filósofo contemporâneo e muito menos um catalisador do espírito alheio da indiferença.
Na verdade, apenas reflito esta mesma angústia de não ter que participar do compartilhamento do sofrimento alheio.
Não dá para fugir sempre disto.
Afinal vivemos em sociedade.
E por termos amigos, namorarmos e nos relacionarmos socialmente temos que enfrentar e ajudar quem precisa.
Ontem uma amiga, que não falo há algum tempo,disse que passou por momentos difíceis com sua saúde.
E por milagre recebeu a cura.
A abnegação e a distância que muitas pessoas escolhem para suas vidas, de alguma forma e em algum momento, justificam suas atitudes.
Ouvindo o pastor da minha igreja no domingo, ele falou sobre coisas ruins que acontecem a pessoas boas.
O apóstolo Paulo relata em suas cartas com orgulho seu sofrimento: prisões, açoites, apedrejamento, naufrágios, etc.
Ninguém gosta de sofrer. Falo de pessoas normais.
E muitas vezes nossa classificação de sofrimento é subjetiva e distanciadora.
É muito mais fácil dizer: que Deus traga consolo e cura para aquele que está sofrendo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é importante, mesmo que seja nada, ele pode ser tudo.