O Pé

O Pé
Tudo que pisamos, nos apoia.

23 de set de 2009

O GRANDÉRRIMO MUNDO PEQUENO

Conversando com uns amigos esta semana, comentei como existem pessoas que só vão a igreja para reclamar. Não sabem seu papel no corpo de Cristo, e apesar de serem ativistas, não participam como biblicamente deviam se portar.
Então ouvi a frase: eu não conheço pessoas assim, os grupos que me relacionam não tem pessoas assim.
Neste momento, veio aquela sensação que eu estava errado em conhecer ou falar com pessoas que reclamam de tudo.
Veio a cabeça o versículo: "não vos assenteis nas rodas dos escarnecedores" e senti que sentava nesta roda.
Depois de absorver a declaração da pessoa, resolvi não ir mais fundo na questão.
Percebi que a miopia não era minha.
Ainda não descobri, se pela ingenuidade ou pela distância, que a pessoa tem em relação ao círculo social que frequenta, ela falou isto para mim.
Mas acho que passa pelo lado pessoal.
Questão da imagem confrontada com aquilo que se espera de um crente modelo.
Aliás, o círculo social religioso sempre carrega ingênuos por natureza. E ingênuos, pela simples escolha de quererem achar que o simples contato com o "mal" contaminará toda sua existência.
Em pleno século 21, em meio a globalização, ao aquecimento global, ao Twitter, ao email, ao Facebook, aos blogs, com esta massa de informação, ainda se produza pessoas, que apesar do esclarecimento, estudo e cultura, que consigam se alienar de todo um processo que ocorre a sua volta.
Muitas acham que para ser crente de verdade, o linguajar deve conter algumas palavras chaves, tais como: soberania, reino Deus te abençoe, Aleluia ou Glória a Deus, como uma entonação e sotaque caracteristicos, puxando esses.
E ter tatuagens, pensar diferente daquilo que se estabeleceu como padrão, não escutar as cantilenas lamuriantes declina a pessoa de ter a compreensão da verdade bíblica.
Um verdadeiro choque de mundos e percepções.
Mais pelo desconforto causado, do que pelos efeitos produzidos.
Com diferenças podemos andar mais, lado a lado.
E não empurrar para fora da estrada.
Tenho a certeza que se não tivesse tido os pais que tive, vendo como Deus atuou em suas vidas, eu nunca pertenceria a uma igreja evangélica. Através deles pude ver Deus.
Quanto mais eu encontro legalistas, evangélicos de plantão que supõe que só verdade de suas vidas é a vida em Cristo, mais eu tenho certeza que Deus se manifesta para cada um de forma diferente e individual.
E a incoerência do "crentes" é escandalosa pelas suas atitudes.
Quero fazer diferença para quem reclama sempre da igreja.
E não para quem acredita que "fantasmas" não existam.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é importante, mesmo que seja nada, ele pode ser tudo.