O Pé

O Pé
Tudo que pisamos, nos apoia.

30 de jul de 2009

O CEGO ENTENDIMENTO DA ADORAÇÃO pt 2

A adoração coletiva em rituais pagãos ou em igrejas evangélicas tem o mesmo sentido, porém, não na mesma direção.
Enquanto as evangélicas adoram um Deus único, o paganismo pode adorar objetos, vários deuses, animais ou fenômenos.
Os ministradores de adoração, tão em moda no meio evangélico, se perdem em clichês e discursos vagos e sem direção muitas vezes.
Quando alguém diz que cada um adore a Deus como se sentir melhor, em pé, sentado, batendo palmas ou de qualquer outra forma, vai na direção contrária da adoração coletiva em templos.
Para que ir então a um templo adorar a Deus, se quem está dirigindo diz que possa fazer da maneira que desejar?
Contradição?
Incoerência?
Despreparo?
A incapacidade de entender preposições é latente. Saber a diferença entre estar à frente, de frente, na frente não faz parte do entendimento de todos estes ministradores de adoração.
Os quais em muitas horas estão mais para manipuladores de adoração.
Eu não consigo entender bem esta ministração.
Já falei do senhor David Quinlan e sua ministração mântrica.
E cada vez que escuto alguém dizer "você podia não estar aqui" ou "sinta-se a vontade para louvar" é constrangedor.
Muitas vezes só cantar e deixar a letra da canção ou do hino, é mais poderoso e prático do que dezenas de palavras clichês despejadas sobre a multidão no estilo da senhora Valadão Bessa.
Deixem Deus falar conosco através das letras das músicas.
Chega de lenga lenga ministrativo antes das cantilenas lamuriantes ou dos hinos.
Falar para justificar a presença ali, não trazendo nenhum fato novo sobre a muzk ou experiência que sirva no coletivo, é melhor calar-se.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é importante, mesmo que seja nada, ele pode ser tudo.