O Pé

O Pé
Tudo que pisamos, nos apoia.

21 de jul de 2009

AS LUZES DA RIBALTA DO PALCO GOSPEL


Sabado, 18 de julho - parte do praticável do coro é retirado para ser colocada a bateria na plataforma no templo
Domingo, 19 de julho, 8h30 - Chego para fazer terminar de equalizar guitarra, ver volume, timbre.
8h31 - Paulinho começa a ligar teclado, retorno para as 9h passarmos o som com a banda toda
8h33 - Começam a chegar as primeiras pessoas no templo
8h47 - Religioso plantonista maçônico entra pela porta lateral, faz uma careta, e torpedeia: virou palco agora...
8h47m33s - Eu lanço um contra-torpedo: eu não pedi para tocar aqui em cima, reclama com quem de direito e colocou os instrumentos aqui em cima.
Não consigo imaginar o que se passa na cabeça de um pessoa assim, que não tem respeito pelo próximo.
O evangelho de Jesus não lhe ensinou a respeitar ou amar o próximo e muito menos a maçonaria passou valores que realmente sejam relevantes no relacionamento humano.
Alguém comentou comigo, que deveríamos então tirar o coro (sagrado e intocável) do mesmo palco onde colocaram os instrumentos.
Pesos e medidas diferentes para a mesma situação.
Este senhor até adquiriu o CD da minha banda.
Ele sentou atrás das caixas para não receber o impacto da muzk "profana".
Será que a minha banda tocar o maçônico Pink Floyd no palco gospel ele vai reclamar também?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é importante, mesmo que seja nada, ele pode ser tudo.