O Pé

O Pé
Tudo que pisamos, nos apoia.

15 de jan de 2009

A ARMADILHA E A TORTURA

Pela regra, sempre no fim do ano ou início do seguinte, as pessoas traçam planos, determinam metas o período que se inicia.
Eu não faço isso.
Acho muito chato.
Chatissimo.
A passagem de do ano é mera formalidade do calendário.
O que precisa ser mudado ou objetivos a serem alcançados, devem fazer parte de um pacote.
Nas últimas semanas, tenho divagado sobre o que tenho feito ou deixado de fazer.
Algumas coisas se amarram com outras, e a certeza de ter feito a escolha certa, de deixar de lado o que poderia ter feito, acaba surgindo como um fantasma assombrando os incautos.
Aliás, os fantasmas de nosso passado, das coisas e pessoas que ficam pelo caminho, tornam o caminho adiante causticante.
A distância, a tortura.
E o tempo, uma armadilha.
A percepção temporal de ficar uma semana distante ou um ano, é a mesma.
Não dá para estabelecer formas ou receitas .
Uns conhecidos, ficaram noivos e por motivos profissionais foram morar longe. Outro estado e outro país. Vão voltar para casar e irem embora de novo.
A percepção temporal deles deve ser torturante.
Uma armadilha, a distância?
Acho que abstrair qualquer idéia de distância e do tempo talvez seja o mais indicado.
É claro que em alguns dias a saudade deva ser sufocante, e em outros dias, nem se lembrem um do outro.
Cada um reage de uma forma diferente.
Eu, provavelmente, na distancia ficaria questionando se fiz a coisa certa em ficar esperando, insegurança descarada.
Talvez seja pela (in)decisão entre os sins e nãos.

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Parece que hoje é um daqueles dias de saudade sufocante...
    Mais sabe de uma coisa?
    Melhor é ter de quem sentir falta, do que viver, seM grandes expectativas de viver, tal saudade novamente.
    É, o "conto do contente" tem sido, minha brincadeira favorita...
    Ao menos tem suprido o vazio, daquilo que durante tanto tempo foi ideal, para mim de alguma forma, e que hoje, é apenas um passado, que a cada amanhecer torna-se mais e mais distânte...

    MEU EPITÁFIO!

    ResponderExcluir

Seu comentário é importante, mesmo que seja nada, ele pode ser tudo.