O Pé

O Pé
Tudo que pisamos, nos apoia.

23 de dez de 2008

O ESTEREÓTIPO DO CASAMENTO


Como não acredito em complôs, vou acreditar que é apenas uma coincidência as pessoas acharem que devo namorar alguém porque estou sozinho, divorciado.
Talvez tenha na versão apócrifa: não é bom que o homem viva só, só com dois pitbulls.
Durante o final de semana, meus amigos e amigas resolveram organizar uma comissão para estudo e apresentação de um relatório para escolha de uma namorada para um futuro casamento.
Em meio ao meu exagero no texto, me senti acuado com tantas pessoas achando que devo casar.
Ouvi até que devia voltar para ex-esposa.
Absurdos a parte, após passar este ano sem estar me relacionando com alguém, ou namorando, a observância do eu sozinho é legal.
Temporariamente.
No final de semana, também recebi o convite de casamento de uma amiga que vai casar.
Acho que ela me deu o convite para eu não esquecer e ir também.
Apesar de ter sido chamado para ser padrinho dela.
Nem conheço o noivo.
Acho que o vi uma vez.
Muito menos sei se ele fala.
Um conhecido disse uma vez para seu amigo: não vou te chamar para padrinho do meu casamento, porque você não é crente e não vai orar por mim e por minha esposa.
O amigo ficou ofendido com a desfeita.
Talvez o melhor seja que meu conhecido nem namorando estava ou está, 49 anos, solteirão convicto e antes de arrumar namorada já estava pensando no casamento.
Fico pensando que casar com alguém não pertença ao mesmo grupo social, traz alguns problemas.
Amigos diferentes.
Pode ser até que os objetivos sejam díspares.
As escolhas podem transformar o casamento num verdadeiro duelo de egos.
Até porque is dormir brigado com alguém na mesma cama torna a relação insuportável.
Quando se está namorando administrar estes entreveiros é fácil.
Cada vai para sua casa.
Vai dormir separado e no dia seguinte, tudo é diferente.
Mas como já andei escrevendo por aqui, namoro, casamento pode servir de fuga a uma fragilidade e carência emocional.
E casamento você não casa só com a pessoa escolhida.
Você casa com o pai, a mãe, irmão, irmã, avó, avô dela.
Ah! Também com os hábitos, amigos e inimigos dela.
Quem casa, quer casa.
No meu caso, só falta a pessoa certa.

Um comentário:

Seu comentário é importante, mesmo que seja nada, ele pode ser tudo.