O Pé

O Pé
Tudo que pisamos, nos apoia.

28 de nov de 2008

A VICISSITUDE DO OSTRACISMO

Em meio a invasão gospel nas redes de televisão, agora ta difícil os ortodoxos reclamarem que a TV é coisa demoníaca.
Entre Show do Milhão, Show da Fé, Show dos Milagres, bispos apostólicos, fica sem nexo a reclamação de muitos. Agora não gostou das novelas da Globo, troca de canal e assiste ao Show da Fé.
O cardápio televisivo é variado.
Atende aos mais apurados gostos religiosos.
Do católico ao evangélico.
TV aberta ou fechada.
Não consigo assistir a estes programas ou tvs que intencionalmente ou não tripudiam da fé e da razão de todos nós.
Cura no horário marcado, tomamento de posse de bênção, e por aí vai.
Esta idéia tão propagada nos templos avivados de que crente não é rabo é cabeça soa tão ruim quanto a marolinha presidencial em relação a crise.
Pastores renovados carismáticos gritam em seus cultos ou sessões espirituais: pisa na cabeça da serpente, porque crente é cabeça não é rabo! Crente tem autoridade! Toma posse do que é seu!
Teologia do humanismo.
Quem manda é o homem.
Muitos não gostam que se critiquem estes homens de Deus.
Provavelmente, a maioria silenciosa que sustenta jatinhos, helicópteros, mansões que estes ditos homens de Deus tem.
Como os defensores da senhora Valadão Bessa se manifestaram ruidosamente contra aqueles que criticam os rastejos e outras coisas dela.
No século das celebridades instantaneas, até estes religiosos entram na onda do sucesso como um Big Brother, uma cantora pop ou até como Humberto Gessinger já dizia que o papa é pop, e o pop não poupa ninguém.
A alteração de popularidade, em um curto espaço de tempo se torna referencial ou ícone da cultura religiosa, deve ter o mesmo impacto que muitos estudiosos fazem do mesmo fenômeno nos garotos que jogam futebol, que numa semana estão ganhando R$ 300,00 de ajuda de custo e na seguinte R$ 300.000,00 com direito a carro importado mulheres.
Posso usar a té esgotar o exemplo da senhora Valadão Bessa que se sentiu o próprio Moisés conversando com Deus e achando que tudo que possa fazer agora é inspiração divina.
Até Moisés escorregou na vaidade.
Só lembrar quando ele espancou a rocha e dela saiu água.
Moisés realizou o seu milagre. Mas como poucos se dão conta, ele por ter vivido muito tempo no deserto, sabia que aquela rocha porosa acumulava água.
Da mesma forma que um rapaz escreveu nos comentários de Unção sem Noção:
Alexandre Scheidt disse...

caro autor, o dia que você fizer um culto no maior sambódromo do país e não tiver ninguém que possa dizer algo contra então poderei repensar no que você escreveu aqui...

lembre-se, está escrito:
pelos frutos se conhece a árvore.

16 de Novembro de 2008 22:38

O poder manifestado é do homem que consegue encher o maior sambódromo do país.
Mas quem é cabeça não pode ser rabo.
Madonna enche o Maracanã.
Eric Clapton encheu o sambódromo quando veio pela primeira vez ao Brasil.
Nina Hagen também.
Menudo idem.
A medida que devemos usar, está além da compreensão humana.
Mas alguns crentes não conseguem entender e muito menos viver à sombra de Deus...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é importante, mesmo que seja nada, ele pode ser tudo.