O Pé

O Pé
Tudo que pisamos, nos apoia.

22 de out de 2008

OBSSESSÃO TRANSLÚCIDA

Você já pensou quantas vezes você se apaixonou por alguém e não foi correspondido?
Não estou falando de amor que tudo sofre, tudo suporta ou tudo aceita.
Falo de paixão... sofrer por alguém.
O sentido original da palavra, está muito mais ligado ao sofrimento do que satisfação pessoal por gostar de alguém.
Normalmente a paixão não é correspondida.
Nos mesmos níveis, pelas partes envolvidas.
Se não fosse assim, não seria um sofrimento gostar de alguém.
Neste momento, as dúvidas escorrem por sua testa, tão atrozes quanto sarcásticas.
Será que ela gosta mesmo de mim?
Ela vai me trocar por outro?
O mais sintomático da paixão são os efeitos colaterais.
Insônia, calafrios, vômitos ou febre, em casos mais extremos.
E quando chega num ponto onde você esta perto do abismo, pula ou pula!
Não dá para prosseguir acreditando que as coisas poderiam ser diferentes.
Ingenuidade.
Ou miopia relacional.
O foco não está mais na relação.
Está na pessoa.
Ou naquilo que a pessoa representa, que na verdade, no momento percebido, é tudo que se precisa.
As pessoas são insubstituíveis.
Cada uma tem uma importância que a torna insubstituível pelas características pessoais.
Mas gostar de alguém, se apaixonar ou amar, transcende muito o limite da compreensão humana.
Talvez você enumere motivos, características ou adjetivos para gostar de alguém.
Mas explicar a química da empatia ou contrária ainda é um mistério.
Cada pessoa produz um efeito diferente em cada um de nós.
Sempre ligado as necessidades fugazes de nossas existência.
Hoje quem é a pessoa de sua vida, com quem quiser passar o restante de seus dias, pode se transformar numa lembrança.
Dependendo como tudo começou ou terminou, se tornam naquelas lembranças saudosistas.
Apaixonar-se por alguém que a única coisa foi dizer não, e mesmo quando dizia sim, o não era o resultado final, é uma paixão. Literal.
O tempo nos torna letárgicos, as reações se assemelham a um estado de coma, catatônicos em transe sem notar que o mundo está passando rapidamente ao seu lado, e você a margem de todos as mudanças que ocorrem a sua volta.
Tempo e distância são fiéis determinantes das nossas ações.
O que os olhos não vêem o coração nunca vai sentir.
Não é bom se apaixonar.
Eu sempre evito muita proximidade com as pessoas, interdependência delas.
A paixão procura pela sua próxima vítima.
Não quero que seja eu.
Pelo menos neste momento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é importante, mesmo que seja nada, ele pode ser tudo.