O Pé

O Pé
Tudo que pisamos, nos apoia.

8 de set de 2008

PREFIRO QUE ME ODEIEM DO QUE ME INVEJEM

Numa debate bastante interessante do final de semana com minha filha e ex-mulher, cheguei a esta conclusão.
Estranha, alguns podem estar pensando.
Louca, outros vociferando.
Mas se pensar bem, quem inveja, quer acabar com você, quer estar no seu lugar. Quer alguma coisa sua.
Odiar é mais saudável.
Olhando neste prisma.
Não me refiro ao amor, antes que algum queira questionar a afirmação e tentar o catequismo exarcebado e de plantão.
Deixando de lado por alguns instantes a premente razão religiosa que cega, ensurdece e atola no lamaçal de ignorância, pense como é horrível a sensação de alguém invejando.
Imagine, você casado com a pessoa que ama.
E o abominável ser invejoso, querendo seu marido ou sua esposa?
Ou você consegue passar em um concurso que durante meses te consumiu estudando, e o abominável inveja seu sucesso?
A inveja é uma mercadoria encontrada nas piores embalagens de seres humanos.
Se você pensar no ódio, ele é ruim, mas nem tanto.
Eu odeio axé music.
Eu não invejo axé music.
Eu odeio funk.
Eu não invejo funk.
Eu odeio a política econômica do Lula.
Odiar não é tão ruim quanto parece.
Deve existir milhões de pessoas que compartilham do meu ódio.
Eu não me lembro ouvir ninguém dizer com orgulho: eu invejo fulano.
Sempre tem aquela motivação destruidora, de querer o mal ao próximo.
A inveja acaba disseminando mal interior de todos que esconde suas frustrações lactantes.
Como baratinhas ingerem a maldade e a inveja aqui e defecam a discórdia ali.
Ainda bem que a inveja não é abrangente.
É egoísta.
Egocêntrica.


Um comentário:

  1. Mais que tanto se fala de inveja, ultimamente heinnnnnn
    Nossa....
    vc está sendo vítma de alguém?

    ResponderExcluir

Seu comentário é importante, mesmo que seja nada, ele pode ser tudo.