O Pé

O Pé
Tudo que pisamos, nos apoia.

19 de ago de 2008

O INTRUSO

Em 1437, no pequeno povoado de Hammet, sul de Westfog Highlanders, Escócia, apareceu o primeiro rato que se tem notícia no ocidente.
Conforme pesquisas e relatos os roedores vieram nos porões dos navios das especiarias chinesas.
Os chineses tinham que mandar algo ruim junto.
E desta vez não foi relógio, DVD ou tênis.
Em 1752, na Abadia de Westminster Southern em Londres, foi constatado o primeiro religioso de plantão. Sentava nos primeiros bancos, vendia indulgências, era Rosa Cruz, seguidor e mantenedor dos segredos templários.
Em 1836, ouvi-se os primeiros rumores do extermínio de seitas que contrariavam o catolicismo. Latente, emergia o sincretismo religioso brasileiro. Mesmo avessa a esta idéia, a igreja Católica não perderia seus fiéis e nem suas terras.
Em 2008, os ares ecumenistas, sopram sua doce brisa intoxicada de enxofre para todos os lados.
Depois do Templo da LBV em Brasília, começa a se divulgar uma campanha de cunho evangelístico para alcançar almas perdidas no Brazil: Minha Esperança.
Lado a lado, Evangelho Quadrangular, Casa da Bênção, O Brasil Para Cristo,Metodista Wesleyna, Presbiteriana do Brasil, Assembléia de Deus, e igrejas Batistas e outros organismos tais como Ordem de Ministros Evangélicos, etc.
Tudo capitaneado pelo quase secular pregador americano Billy Grahan e seu filho, herdeiro e sucessor no império de evangelização.
Estou estarrecido que nenhum deles entre seus pares denominacionais se entendam, imagine colocando no mesmo balaio todas estas denominações.
Não estando satisfeitos em amealhar mais países com sua política expansionista e guerreira, os EUA querem evangelizar os pobres sul-americanos com programas dublados da pior forma possível, com associações poucos confiáveis.
Não ao imperialismo religioso americano.
Eu nunca iria tomar conhecimento de tal ação, se não tivesse assistido o vídeo promocional da campanha na minha igreja.
Fiquei estupefato, além do mal estar que a febre já causava, em ver que é possível que pessoas ainda acreditarem no bom mocismo e paternalismo desinteressado dos americanos.
Quero manter uma certa distância desta incoerências dos religiosos de plantão que nos rodeiam e se autodenominam, muitos deles, anjos do Senhor.
Tenho certeza que muitas igrejas, instituições, são preconceituosas em relação a outras.
A religiosidade extrema e o cristianismo mínimo aumentaram este abismo.
E nesta época eleitoral, amigos retornam do limbo, saem dos ralos correndo atrás de votos para políticos de capacidade duvidosa. Pastores...ops digo...religiosos de plantão fazem campanhas eleitorais dos homens, deixando Deus para o terceiro turno da eleição.
Vamos pensar em algumas coisas:
Quem usa terno no domingo?
Mesmo que seja no verão?
Quem acredita que a só a igreja dele vai para o céu?
Quem fica gritando e conversando com os demônios em vez de expulsá-los?
Quem conta as piadas mais sujas e safadas?
Quem no futebol fala mais palavrão e briga?
Eu não confiaria em pessoas assim.
Idéias pessoais e desconexas devem pertencer apenas a seu proprietário.
Não quero partilhar de momentos lúgubres e idiossincráticos da mente alheia.
Aqui, só lê quem quer.
Na igreja, a gente devia deixar Deus falar mais do que certos religiosos de plantão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é importante, mesmo que seja nada, ele pode ser tudo.