O Pé

O Pé
Tudo que pisamos, nos apoia.

20 de ago de 2008

GALINHA É BICHO DE ESTIMAÇÃO?

Os meus vizinhos são mineiros, com o mais tipico UAI que se possa ouvir.
São de Alfenas. Se você não sabe onde fica, Google Maps pode te indicar o caminho.
Independente, da sua localização geográfica, eles vieram em bandos.
Acho que no famoso Pau-de-arara.
O primeiro que chegou abriu a farmácia.
Depois mais outra.
Ele então aproveitou importou trabalhadores.
No melhor estilo.
Só faltou colocarem todos em um contêiner e trazê-los para o Rio.
Mas como Minas Gerais não tem mar, ficou inviável o tráfico de trabalhadores de farmácia.
Uma verdadeira blitzkrieg mineira.
Sorrateiramente foram tomando conta de Lins de Vasconcelos.
É capaz até de terem um candidato mineiro a vereador aqui no Rio.
Os hábitos são bem diferentes dos nativos cariocas.
Tive mais certeza há uns meses atrás.
Um dos mineiros, comprou um galo e uma galinha para lembrar da terrinha.
O galináceo toda madrugada, por volta das 4 da manhã começava a cantoria.
Para quem vai levantar cedo e se encaminhar para a plantação, é um excelente despertador.
Como eu não ia, e todo a vizinhança também não, a cantoria se tornou lenda urbana nas casas em volta da farmácia.
O dono do galo deve ser torcedor do Galo.
E não deve estar passando por uma fase de sorte como seu time.
Noite passada (leia-se quinta para sexta da semana passada) a galinha resolveu conhecer as belas paisagens do Lins.
Ela começou pelo muro. Ficou ciscando de um lado para outro.
Mudando para o meu lado do muro.
Os pitbulls estavam agitados com este ciscamento da galinha.
Galopavam pelo quintal, latiam, uivavam e pulavam.
Achei que eram o ordinários ratos.
Já deitado, com febre e calafrios, escutei os pits brigarem.
Não era um pequena briga.
Mas uma grande briga.
Como eles não pararam ao meu comando, joguei água neles.
Como estava escuro o quintal e não estava em condições psicossomáticas de ficar dialogando com os cachorros, voltei para debaixo do cobertor.
Achei estranho que o Max estava deitado.
Não levantava e parecia que estava guardando algo.
Fui deitar, pensando que amanhã resolveria o problema deles.
Quando estava pronto para sair bem cedo para pegar umas fotos, deparei com o motivo da briga.
Ele estava guardando o que sobrou da galinha.
Pobre bichinha.
Só os chineses fazem pior com seus animais.
Fui desejar minhas condolências ao dono da galinha.
Ele não estava na farmácia, mas deixei meu apoio fraterno.
O despertador continua sempre a partir das 4 da manhã.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é importante, mesmo que seja nada, ele pode ser tudo.