O Pé

O Pé
Tudo que pisamos, nos apoia.

10 de set de 2007

SADOMASOQUISMO

Resolvi finalmente descobrir o que não tinha...fui ao médico.
De uma vez fui logo a 3 destes filhotes de Joseph Mengele, o Anjo da Morte.
Fui primeiro ao ortopedista. A minha dor não passa. Braço dormente, dores constantes, dificuldade para dormir. Tinha que ir a um destes trombeteiros da desgraça alheia.
O doutor Orto P. Dista me examinou, fez algumas perguntas, mandou fazer alguns movimentos e decretou minha primeira doença: Cervicobraquialgia. Inflamação do nervo Cervicobraquial, que fica no pescoço, que está causando todo este incomodo. Nada de uma simples tendinite ou mal jeito no pescoço.
Filhotes de Mengele 1 x 0 Eu
Marquei então o oftalmologista.
Acho que neste eu ia me dar bem. Não to usando óculos desde que os pitbulls deitaram em cima deles. Mas eu consigo enxegar, mal, mas to me virando. Só o cinema que fica difícil...nada de conseguir ler as legendas. Já fui pensando que neste eu ia me dar mehlor e empatar o jogo.
Examina os olhos, pinga colírio, acende luzinhas, faz medições...consegue ler? Pergunta doutor Oftal Molo G. Ista... respondo que não...ele mexe em alguns botãzinhos...e agora? agora melhorou...retruquei e ele novamente: e agora? piorou...respondi ...e ele: e agora? melhorou...putz...depois de alguns minutos brincando de melhorou x piorou vem a sentença.
Pensei q ia perder mais uma. E perdi.
Doutor Oftal diz para mim que tenho um grau para longe e outro para perto.
Veio rapidamente na minha cabeça: ÓCULOS PARA LEITURA NO SEU GRAU APENAS R$ 9,90...ÓTICAS DO POVO...MORÔ..HAIHAIIIIIII........eu não merecia isso...
Para encurtar, optei por ler e enxegar mal as coisas distantes. Nada de óculos para leitura por R$ 9.90.
Por último, fui visitar do Doutor Joseph Mengele Junior. Não sabia que ele tinha filho. E nem sabia que ele morava no Brasil. Veio a cabeça agora The Boys From Brazil com Gregory Peck. Que ingenuidade a minha. Tortura, experimentos...o cara só podia ser dentista.
Fui logo cedo.
A consulta estava marcada para as 8 horas da manhã. Estava chegando no consultório, 8h03 quando o celular toca. Atendo e do outro lado alguém pergunta se estou indo para a consulta dentária, respondo que sim, dizendo que estava quase no porta do prédio.
Três minutos de atraso e já me ligam. As coisas não iam ser boas.
No consultório, enquanto a atendente fazia a minha ficha, pela porta entre aberta vejo Joseph Junior testando seus paramentos: ferrinhos, extratores, bisturis, e a maldita maquininha. Ele pisava fundo e aquele troço zumbia como abelhas africanas em direção a sua vítima: EU!!!
Ele começou a examinar, raspar, radiografar. Depois começou o discurso: Você quer ter uma boca igual a esta aqui? Ele pegou um molde dizendo que aquilo era verdadeiro, e que eu tinha a mesma doença que tinha provocado aquele estrago. Era uma doença genética, degenerativa dos ossos que prendiam os dentes e que se eu não cuidasse iria ficar igual. Sem dentes. Sem boca. Não podendo mastigar, só tomando sopinha de canudinho.
Me senti num episódio de Alias, quando aquele chinês torturava as pessoas obturando e arrancando dentes sem anestesia ou qualquer cuidado. A porta abriu e pensei que era Sidney Bristow que chegava para me salvar. Terrivel engano. Era a comparsa do Joseph Junior. E era também esposa dele.
Estava me segurando para não falar nada.
A opressão era grande. Estava deitado naquela cadeira sendo torturado por aquele homem de branco supostamente pleno das suas faculdades mentais.
Mas não resisti, pois não sou ex-brigão.
Perguntei para ele: este cara que está sem dente nenhum...quanos anos ele tem? 43?
Rapidamente Mengele mudou de assunto e começou a falar o que era necessário fazer. Comecei a retrucar tudo que ele falava. Fiquei mais assustado quando ele me falou que ele tinha uma prótese há 40 anos, e que estava em sua boca em perfeito estado. E sorriu.
Visão do inferno.
Dentes tortos e sobrepostos.
Nunca tinha pensado nisto até este dia: todo dentista é adepto do sadismo! Ele coloca as pessoas imobilizadas, coloca prendedores nas suas bocas, usa instrumentos cortantes e perfurantes. Inflinge dor e fica depois feliz com o resultado. Quanto mais dor, mas ele sorri e diz: fica calmo, tá acabando...a anestesia não pegou...você é muito resistente ao remédio. E as abelhas africanas estão dentro da sua boca trazendo um orgasmo aos dentistas.
Ele é um sádico.
E eu sou masoquista.
Marquei consulta quarta e sexta.

2 comentários:

  1. Doeu e mim. Cara só posso te dize uma coisa. Fico tranquilo porque não sou eu!

    ResponderExcluir
  2. engraçado ...passo pela mesma situação , porém menos dramática...já me conformei em envelhecer usando aqueles famosos 4 olhos...na realidade eu só tenho 2.não tenho medo de ir ao dentista pelo contrário...me sinto bem ao achar q sairei dali com a segurança de um sorriso feliz e sem nenhuma preocupação .o sorriso é a porta do sucesso e rejuvenessimento .o barulho do aparelhinho não me causa nenhum efeito .o único aparelho do dentista q me causa medo é o alicate...só de pensar ...me arrepio toda. conclusão: devo mesmo me conformar com os óculos e ainda acho q acabarei usando aparelhos.

    ResponderExcluir

Seu comentário é importante, mesmo que seja nada, ele pode ser tudo.