O Pé

O Pé
Tudo que pisamos, nos apoia.

9 de mai de 2007

Bestial


Assistindo ao Discovery Channel esta semana, vi Vida Selvagem que mostrava a convivência de leões e hienas. O mais interessante que eles estavam mostrando imagens das caçadas noturnas. Pelo aspecto repugnante e as risadinhas sarcásticas, as hienas não nutrem qualquer simpatia. Os leões, pelo contrário, reis da floresta, com desenhos animados pela Disney, parecem ser maravilhosos, imponentes, superiores.
Nada como assistir ao Discovery para derrubar mitos.
Há algum tempo descobriu-se que quem caça é a fêmea. O rei, preguiçoso, só copula e mantém os outros machos afastados do seu harém. Só vai a caça quando as coisas estão extremas.
Neste Vida Selvagem que assisti, mostrou-se mais uma experteza do felino. A noite as hienas caçam e os leões esperam que elas abatam a caça para então espantá-las e ficar com a carne. As hienas com a carcaça. Como pode o rei da floresta, tão decantando pela Disney ser tão malévolo. No desenho, a hiena é o mal. Coitadinho do leãozinho.
Na semana retrasada assisti, também no Discovery Grizzily Man. Um documentário sobre um louco que achava que podia ser um urso. Ou protegê-los. Thimothy Treadwell resolveu passar a viver com os ursos em um parque nos Estados Unidos. Escondido é claro das autoridades. Levou câmera, barraca, comida, a namorada e passou meses lá filmando e vivendo com os ursos.
Não custa dizer que o documentário não foi ele quem terminou. Foi Werner Herzog. Treadwell, o grizzily man, foi destroçado junto com a namorada por um urso. O ataque não foi filmado pelo finado, porque a tampa da lente da máquina não foi retirada. O ataque foi surpresa. Só tem gravado os gritos e o som da carnificina.
Nós todos somos tão animais quanto estes antes descritos. Nossa que observação!!! Ele é tão observador!!! Diriam alguns. Nós, humanos, do alto da nossa postura leonina, às vezes esquecemos da besta que está escondida dentro de nós.
Quantas vezes você sai de casa, evita um determinado caminho por sentir uma sensação extranha. Pressente o perigo e muda de rota. Lembram que os animais escaparam do tsunami porque eles sentiram o perigo se aproximando e foram para as montanhas? Tem muita gente que não gosta de pensar que tem instintos. Se acham superiores, estão acima do bem e do mal, pensam mais que os outros, não deixam a parte animal fazer o seu papel na sua própria vida. Parece contraditório. O racional ser dominado pelo irracional. A palavra chave desta questão é: EQUILÍBRIO. Como já postaram anteriormente aqui no blog, respondendo a alguma questão anterior.
Em música, a técnica sempre tem que estar a serviço dos sentimentos. Música pela técnica, não arrepia ninguém. É agradável mais não inspira. Não causa nenhum dano.
O racional tem que estar a serviço do irracional.
Uma coisa que descobri semana passada que o irracional quando domina o racional ele é cego, surdo e mudo. Você começa a agir focado num objetivo só: na caça. Você não percebe o que ocorre a sua volta, não escuta o que falam para você e não balbucia qualquer palavra. Numa fração de segundos você age de forma instintiva, o corpo responde de imediato, as ações todas voltadas a abater o inimigo ou a vítima.
Detonação rápida de todo um processo totalmente natural em todos os animais. Entretanto, totalmente repulsivo no meio que vivemos.
Não condenamos os leões.
Nem as hienas.
Muito menos o urso que matou o grizzily man.
Eu me condeno.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é importante, mesmo que seja nada, ele pode ser tudo.